Reforço do Rock Town! Downloads

Bem, o reforço do Rock Town! Downloads é uma medida de urgência para salvar as noites dos leitores do blog que já estão putos com a falta de atualização desta página. O tempo tem sido escasso, porém a vontade de satisfazer seus pedidos e anseios, me fez tomar essa medida rápida, porém extremamente cheia de boa intenção. Então, pelos deuses, façam bom proveito desse pack de discos!

___________________________________________________________

Oh! The Gradeur - Andrew Bird

Lançado em 1999, esse disco conta com a participação da banda que geralmente acompanha Andrew Bird, o Bowl of Fire. Com um jazz incandescente, como no disco Thrill, nesse disco gravado em Nova Orleans, Bird mostra que há sim um revival do estilo swing do jazz, como também ainda há espaço para o violino artístico, com flertes até com o tango. O clima de bordel se instala e garante momentos nostálgicos. Sabe aquela sensação de saudade de uma época que nunca se viveu? Então, é disso que estou falando. Quer relaxar porém se manter acordado graças à uma riqueza sonora inacreditável? Essa é minha recomendação.

Set List

1- Candy Shop
2- Tea and Thorazine
3- Wishing for Contentment
4- Wait
5- The Idiot's Genius
6- Vidalia
7- Beware
8- Dora Goes to Town
9- Feetlips
10- And So...
11- Coney Island Shuffle
12- Respiration
13- (What's Your) Angle?
14- The Confession
15- Beware (Reprise)/Drinking Song (In the Grande Style)


___________________________________________________________

Either/Or - Elliott Smith

Com seu ar lo-fi, Elliott Smith mostrou a essência de sua carreira nesse disco lançado em 1997. Batidas abafadas, acordes encantadores de guitarra, e acredite: tudo tocado pelo próprio Smith. As canções evocam aquele pop sessentista, uma leveza surreal em todos os arranjos, mas a suavidade vem mesmo da voz do americano de Omaha, Nebraska. Either/Or é o terceiro disco do cantor, mas com certeza é o mais ambicioso de todos, pelo senso de harmonia raramente ouvido em outros trabalhos, não só dele, mas de qualquer outro cantor. O disco é uma ótima trilha para dias chuvosos, para momentos de reflexão. Não é à toa que consideram seu som um sadcore.

Set List

1- Speed Trials
2- Alameda
3- Ballad of Big Nothing
4- Between the Bars
5- Pictures of Me
6- No Name No. 5
7- Rose Parade
8- Punch and Judy
9- Angeles Smith
10- Cupid's Trick
11- 2:45 A.M.
12- Say Yes


___________________________________________________________

Highway 61 Revisited - Bob Dylan
Bob Dylan está em alta mesmo. Desde o dia em que elegeram o folk como a nova tendência para os indiezinhos babarem em cima, elegeram também a volta de Dylan. Ele estava na cena, mas não era esse destaque todo, ainda mais aqui no Brasil, quando ele depois de muitos anos, voltou a fazer shows (criminosos, economicamente falando). Ignorando esse golpe mercenário, vamos nos prender à figura emblemática que ele representa. Sempre com letras profundas, cheias de estórias e histórias conectadas com o discurso político ou com a a arte de contar história (típico do folk tradicional), esse cantor nascido no ano de 1941 em Minnesota arrebanhou milhões de fãs não só por todos os lugares, mas por todas as gerações - que tanto careciam e carecem de um herói para seguir. Dylan era o herói a ser seguido em 1965, ano do lançamento de Highway 61 Revisited. Embora passasse por uma contestação jamais vista graças à sua transição do estilo tradicional em violão para a guitarra elétrica, Dylan não abandonou seu estilo, de forma alguma, apenas viu vantagens em eletrificar seu som, algo inaceitável para os fãs mais radicais na época. E as vantagens foram notadas na sonoridade límpida do disco, aliada aos elementos do folk tão conhecido pelos apreciadores da música tradicional americana, que nada mais era que um country-blues, sempre com tendências óbvias para a melancolia do blues ou a euforia do country. O disco é o mais aclamado de sua carreira, um marco em todo seu percursso musical. Foi a variação no ambiente musical que diferenciou esse trabalho. Suas primeiras experiências dentro do rock se encontram lá e claro, seus grandes clássicos estão estampados em suas faixas. Se você não sabe muita coisa sobre Dylan, esse disco é obrigatório e quer saber? É o suficiente para se apaixonar por sua música.

Set List

1- Like a Rolling Stone
2- Tombstone Blues
3- It Takes a Lot to Laugh, It Takes a Train to Cry
4- From a Buick 6
5- Ballad of a Thin Man
6- Queen Jane Approximately
7- Highway 61 Revisited
8- Just Like Tom Thumb's Blues
9- Desolation Row


___________________________________________________________

Onde Brilhem Os Olhos Seus - Fernanda Takai
Lembro da minha mãe comentando sobre a voz doce de Fernanda Takai, quando as músicas do Pato Fu rolavam direto nas rádios. E realmente ela é dona de uma das vozes mais agradáveis e doces do Brasil. Mas acima de tudo, uma voz altamente ajustável, seja quando quer adoçar as belas melodias de sua banda Pato Fu ou quando se aventura no mundo complicado das intérpretes, afinal, não é pra qualquer uma que consegue sair viva dessa função tão substimada no Brasil. E em nosso país, as intérpretes podem ser escurraçadas injustamente, desprezadas, mas muita gente nem se dá conta que ouve e idolatra uma grande cantora, porém intérprete: Elis Regina. E sob a sombra da fenomenal gaúcha, muita mulher se desdobrou para seguir a musa da MPB, mas sem sucesso. Não estou aqui para dizer: "céus, a Fernanda é a nova Elis". Não, não. Elis é Elis e é igual Pelé, não haverá outro. Mas a Fernanda com certeza é um fôlego gracioso em nossa surrada e depreciada MPB e seus inérpretes nessa nova geração. Enfim alguém teve a coragem de interpretar grandes sucessos mais conhecidas na voz de Nara Leão, grande nome de nossa música, a musa da bossa nova. E Fernanda, de forma genial, conseguiu dar sua cara às canções, tão consagradas como 'Com Açúcar, Com Afeto' de Chico Buarque (e que minha namorada insiste em atribuir a letra ao nosso relacionamento) ou 'Debaixo dos Caracóis dos Seus Cabelos', que está bem produzida, identidade intacta, porém textura diferente, mais eletrônica, mais dinâmica. 'Lindonéia' apresenta um bolero moderno, incrível. O disco é uma pérola para a nova geração que anda ouvindo apenas a cansativa Ana Carolina ou as explosivas e idênticas em voz Ivete Sangalo/Cláudia Leite. É disco pra deixar rolar e suspirar do início ao fim.

Set List

1- Diz que Fui por Aí
2- Lindonéia
3- Com Açúcar, com Afeto
4- Luz Negra
5- Debaixo dos Caracóis dos Seus Cabelos
6- Insensatez
7- Odeon
8- Seja o Meu Céu
9- Estrada do Sol
10- Trevo de Quatro Folhas
11- Descansa Coração
12- Canta Maria
13- Ta-Hi

___________________________________________________________

Autobahn - Kraftwerk
Essa banda alemã fundada em 1970 na cidade de Düsseldorf é uma das mais influentes da história. É tão influente quanto foram os Beatles, mas claro, dentro de sua área. É claro que você pode odiá-los por terem começado a música eletrônica que desencadeou bilhões de vertentes idiotas, como o trance, o drum'n'bass entre outras, mas desse grupo também saiu o electro-rock ou as pitadas eletrônicas do New Order e as junções com sintetizadores que muitos estilos utilizam, como é o caso do rock industrial. Mas toda a contribuição que eu listar aqui vai ser muito vaga, afinal, é indizível a influência deles na música atual. O disco Autobahn, lançado em 1974 talvez seja o mais conhecido pelo público (é nome até de balada em Sampa). Mas o que impressiona é a sofisticação, o quanto eles estavam à frente já nos anos 70. Nós que estamos acostumados a ouvir o eletrônico atual e achar que os computadores fazem milagres com seus programas (que não passam de simuladores de sintetizadores daquela época), ficamos impressionados com o vanguardismo do som da banda, os efeitos tremendos em cada faixa e por que não, o fato curioso das letras serem em alemão? Algo que tira nossos ouvidos um pouco da estética do canto em inglês. O disco é um manual de como se faz música eletrônica e com certeza é para viajar com tantas variações sonoras. Ouça Kraftwerk e você entenderá muita coisa.

Set List

1- Autobahn
2- Kometenmelodie 1
3- Kometenmelodie 2
4- Mitternacht
5- Morgenspaziergang

___________________________________________________________

4 Opinião(ões) de nosso(s) leitor(es):

Krautrock é muito foda...

pra quem curte um rock progressivo nesse estilo, recomendo Tangerine Dream e Neu, também não alemães

Adoro o seu blog, sempre estou baixando cd's aqui, queria saber se podiam colocar algumas trilhas sonoras de filmes também, só uma sugestão...

até

esse cd da fernanda takai é um maximo mesmo né ?? me apaixonei por ele assim q eu ouvi...e continuo apaixonada, ouço tdos os dias... eta cd q não sai do meu ipod !!!

hahaha, gostei d como vc definiu o cd e a fernanda ^^

" ...com açúcar com afeto, fiz seu doce perdileto, pra vc parar em casa..."

hahah

agora que percebi bem a foto do Esquilo "bombado".