Velvet Underground - Velvet Underground

A importância desse disco é inefável. Não há como expressar o que cada faixa neste disco gravada significou para as bandas posteriores ao surgimento desse disco em 1967. Das sujas e explícitas canções, da arte de fazer de letras, grandes enigmas até as bases de arranjos, a variedade sonora que o ouvinte acha nas prateleiras desse disco do Velvet Underground é inovadora, mudando de temas diversas vezes, seja no sentido da canção ou no andar do ritmo. Lou Reed e John Cale eram a parceria perfeita, com ótimas letras e acordes despojados e cheios de coragem, para expor para a sua geração o que as ruas clamavam. O mundo não era o sonho americano pregado pelo governo. O mundo em sua maioria era composto de desilusões, tristezas, fugas covardes para as drogas. A euforia das conquistas financeiras e sentimentais davam lugar a becos escuros onde traficantes trafegavam sem medo, vendendo sua porção de escape. 'I'm Waiting for the Man' narra sem escrúpulos a espera de um "junkie" pelo traficante que lhe passaria a droga tão ansiada. Na musicalmente inocente 'Sunday Morning' o saudosismo dos tempos passados e uma pitada de arrependimento por termpos perdidos desfilam em versos esculpidos por Reed, um poeta nato e profano. Em 'Femme Fatale' a modelo e cantora Nico usa do charme de seu sotaque para narrar o poder de uma 'mulher fatal', a tentadora descrição de seus atos:

See the way she walks
Hear the way she talks


A melodia é simples, familiar, e perfeitamente delicada. 'Heroin' é uma daquelas canções que impressionam. Quando John Cale conheceu Lou Reed fixou sua atenção na letra da canção. Ali a realidade do viciado em heroína era exposta. Dos detalhes mais óbvios como o furar da agulha até a transformação do vício em poesia:

Heroin, be the death of me
Heroin, it's my wife and it's my life, ha-ha!
Because a mainer to my vein
Leads to a center in my head
And then I'm better off than dead


Toda a música é revestida de um arranjo caótico que confunde quem ouve: seria isso o som do vício? Seria isso o resumo da confusa cabeça do viciado? Bem, o que me impressiona é o fato da banda dizer que o disco foi gravado com todos sãos. Acredite se quiser.

O disco homônimo do Velvet Underground é o proibido virando poesia. E o amedrontador encorajando você a traspassá-lo. É um furo em sua veia, é um tapa na sua cara. Esse disco é um disco de drogado? Não, é disco de gênio.

p.s.: essa é a capa de disco mais fodida da história!

Set List

1- Sunday Morning
2- I'm Waiting for the Man
3- Femme Fatale
4- Venus in Furs
5- Run Run Run
6- All Tomorrow's Parties
7- Heroin
8- There She Goes Again
9- I'll Be Your Mirror
10- The Black Angel's Death Song
11- European Son

Baixar o disco!

BUSCA!
Agora o blog conta com uma busca específica no menu ao lado. Procure discos e bandas/artistas em nossa busca! Serão listados todos os posts onde o nome procurado foi citado.

2 Opinião(ões) de nosso(s) leitor(es):

Grande álbum!!! Esse é recomendadíssimo! E o blog também! :D

Contém uma das melhores definições de "Heroin" que eu poderia ler. Sou fanboy do Velvet e do Warhol.
Excelente post. Excelente blog.