Songs About Fucking - Big Black

ESPECIAL ESTEVE ALBINI - Parte 1

Começou a sujeira. E tudo graças a um homem genial em sua visão imunda da vida. Este homem é Steve Albini, vocalista, guitarrista, engenheiro de som, produtor e tudo que tem direito. Ele foi responsável, pela produção de discos do Nirvana, PJ Harvey, Stooges entre outros. Sempre aplicando sua concepção de som pesado nos discos que produz, Albini pode ser compreendido muito bem nas diversas bandas que montou, como no Big Black, banda formada em 1982 em Evanston, Illinois. Com batidas mais parecidas com o aspecto do rock industrial (por questão de referência, cito o Nine Inch Nails, para que vocês tenham uma certa noção, mas cabe citar que Trent Reznor é seguidor do Big Black e seu estilo) e um ritmo que remete ao funk, as músicas soam essêncialmente underground, como se fossem mutantes de esgoto tocando um som. Minha descrição parece excêntrica. É genial. O nome do disco já apresenta o teor das letras, o tema de fundo, o esculacho e a cara-de-pau em abordar temas nunca lembrados, graças ao falso moralismo que naturalmente censura o rock. Poucos se aventuram como Albini e sua banda se aventuraram em Songs About Fucking. O disco lançado em 1987 e conta canções furiosas, com vocal abafado, isolado enquanto guitarras transcendem todo e qualquer paradigma formado pelo ouvinte em relação a acordes sujos. É pesado, é sombrio, mas é inteligível, esse é o trunfo.

A banda faz um cover de Kraftwerk em 'The Model' na mesma pegada, mas com a sonoridade rastejante, se desvencilhando de toda pureza possível. 'Bad Penny' é caótica, angustiante, berrada por Albini enquanto uma batida poderosa se interpõe entre a pegada bagunçada do baixo e o chiado da guitarra. A letra é sufocante, perseguidora, intimidadora:

Couldn't throw me to far
I think I fucked your girlfriend once.
Maybe twice, I don't remember
Then I fucked all your friend's girlfriends
Now they hate you


Uma sujeira lascíva. Deprecia o disco? De forma alguma. Albini é a voz do ódio que paira nas ruas, a voz que deseja explodir em alto e bom som. Ouvindo esse disco, não há como se vingar incoscientemente de um inimigo. Não há como odiar inconscientemente aquele idiota que te perturba. Sim, a perturbação é jogada na mesa, cuspida no prato mal comido, diabos! Big Black é humano. 'L Dopa' vem forte, veloz, com a distorção em seu mais alto nível, mas sem perda de técnica. Um break estratégico quebra o gelo e manda trechos de alta perícia na bateria. 'Kitty Empire' tem uma levada de compasso mais marcado, mas não falha em destilar caos em seus balanço enganoso, que silva como uma cobra em busca de uma vítima.

Fiquem atentos para a seqüência de discos que vem por aí. Pra quem não conhece o trabalho de Steve Albini, será uma bela oportunidade de conhecer. Sem pudores e falsos moralismos. Se entregue aos sentimentos mais imundos do seu íntimo e extravase-os ao som de Big Black, Rapeman e Shellac.

Set List

1- Power of Independent Trucking
2- The Model
3- Bad Penny
4- L Dopa
5- Precious Thing
6- Colombian Necktie
7- Kitty Empire
8- Ergot
9- Kasimir S. Pulaski Day
10- Fish Fry
11- Pavement Saw
12- Tiny, King of the Jews
13- Bombastic Intro
14- He's a Whore

Baixar o disco!

BUSCA!
Agora o blog conta com uma busca específica no menu ao lado. Procure discos e bandas/artistas em nossa busca! Serão listados todos os posts onde o nome procurado foi citado.

2 Opinião(ões) de nosso(s) leitor(es):

Os nomes 'exóticos' das músicas me fizeram rir. AHUEHAEUAHEU

fodasticamente fodástico. obrigada pelo link de download! <3