Orange - Jon Spencer Blues Explosion

É uma explosão de blues. Uma explusão de guitarras. Poderia para a resenha por aqui, afinal, o som do Jon Spencer Blues Explosion é baseado na arte de tirar a mais profunda poupa das cordas das guitarras. Formada em Nova Iorque, em 1990, Jon Spencer com sua genial visão do que não é rock, convocou Judah Bauer, exímio guitarrista e Russell Simins, hábil baterista. O trio era tão cheio de pólvora, que foi se destacando pelo seu som pesado, distorcido, mas cheio de groove. Lançado por nada mais, nada menos que a Matador, Orange é um dos grandes discos do grupo, lançado em 1996. Mesclando fúria de guitarras do noise rock com uma concepção acelerada de blues, malabarismos em acordes confusos e uma batida que dá identidade única ao som, o disco foi muito bem recebido por crítica e público.

'Bellbottoms' tem batida coberta com som de guitarras que se contraem em meio a raios de violinos. Há uma interrupção oportuna, nos remetendo ao funk de James Brown, quando o cantor era arrebatado de seus sentidos gritando frases e mais frases. Spencer grita também:


Thank you very much ladies and gentlemen
Right now I got to tell you about
The fabulous, most groovin'
Bellbottom!

O vocalista continua possesso por James Brown e vai urrando interjeições a esmo. Logo após o ritmo vai se acelerando até bater numa muralha de vozes que repete "bellbottons". 'Dang' já é caótica, fora daquela expressão funk da primeira faixa. Com a gaita representando o blues, ele arrebenta as cordas com vocal rasgado ao extremo e a batida entra num pânico arremeçando todo o arranjo num punk sujo e esbravejante. 'Very Rare' é um instrumental arrojado, com bateria moderada acompanhando ótimos solos de guitarra. Há uma intromissão de um orgão no final que dá um toque especial. 'Cowboy' entra com ótimos acordes de um blues de raíz. É calma e bem elaborada. Mais blues de raíz com 'Blues X Man' que conta com alguns efeitos durante o andamento da faixa e um vocal desleixado marca a canção em meio a um riff pesado. É uma verdadeira viagem entre as cordas de Spencer e Bauer.

É sempre bom observar esses grandes gênios que aparecem no rock, como são os casos de 'E' do Eels (que postei anteriormente), de Lou Barlow do Sebadoh (postado aqui), Steve Albini do Shellac (postado aqui também) ou o próprio Jon Spencer. São mentes extremamente férteis em experiências sonoras, fruto do caos de suas mentes, que é transformado incrivelmente em sons dos mais notáveis.

*Sugestão de artista por Ricardo

Set List

1- Bellbottoms
2- Ditch
3- Dang
4- Very Rare
5- Sweat
6- Cowboy
7- Orange
8- Brenda
9- Dissect
10- Blues X Man
11- Full Grown
12- Flavor
13- Greyhound

Baixar o disco!

DICA: Se você quiser localizar um disco ou artista, veja nosso menu ao lado direito da tela ou simplesmente pressione Ctrl + F para localizar.

2 Opinião(ões) de nosso(s) leitor(es):

ummm... .. . .

ministry com sonic youth?

sonic youth com ministry e mais velvet undergund?

sonic youth com ministry e mais velvet undergund e john lee hooker?

não não não, Jon Spencer é singular, por mais que pareça, NÃO É.

o cara é foda!

Ativa o albun Orange do Jon Spencer.....por favor.