The King of Blues - Robert Johnson

Considerado por muitos o maior nome do blues, Robert Johnson não carrega consigo apenas a fama de ter sido um grande músico, mas tráz consigo lendas cercadas de mistério, como a história de ter vendido sua alma para o diabo na encruzilhada das rodovias 61 e 49 em Clarksdale, Mississippi, em troca da habilidade descomunal para a música, ou sua morte, que dispõe de diversas versões, do envenenamento à sífilis. A verdade é que sua carreira foi curtíssima, apenas dois anos (1936-38) sendo que não houve nenhum sucesso comercial, apenas tocava em bares sofridos e puteiros. Mas quem conhecia o blues, músico ou apreciador, sabia que ali estava o homem que fez o estilo musical evoluir, ganhando um faceta mais complexa, com harmonias mais consistentes, sem contar no quanto ele contribuiu na manipulação dos acordes graves, esquecendo um pouco o dedilhar das agudas notas e dando uma linha estável para as canções. A voz dele nos remete aos mais célebres cantores de blues, a voz do negro sofrido, que mesmo oficialmente livre da 'escravidão', continuava servo da vida, que os castigava com o preconceito, com a falta de oportunidades. Não havia perspectiva para o negro americano. E ali, na voz de Johnson, todas as agonias e sofrimentos se fundiam e saíam em forma sonora. Johnson gravou 29 canções sendo que ao todo são 42 faixas, se contarmos as diferentes versões que ele deu para algumas músicas. King of the Blues é a reunião das 29 canções originais gravadas precariamente pelo gênio do blues. O disco exibe uma adaptação de Johnson para o blues de um de seus mentores, Arnold Kokomo. A canção originão se chama 'Old Original Kokomo Blues' mas Johnson a transformou em 'Sweet Home Chicago'. 'When You Got a Good Friend' é tem acordes simples, e pequenos breaks adornados com notas agudas. A repetição de frases numa estrofe era uma regra muito disseminada desde os primórdios do blues e as letras sempre eram inclinadas a falar sobre sentimentos fundamentais na vida:

When you got a good friend
that will stay right by your side
When you got a good friend
that will stay right by your side
Give her all of your spare time
love and treat her right

Se você observar, os acordes das duas músicas acima citadas são muito semelhantes. 'Terraplane Blues' já demonstra uma manipulação das cordas bem mais elaborada, paradas e retomadas totalmente controversa à linha anterior. A simplicidade de Johnson é brilhante, pois foi o alicerce para a maioria dos sons que ouvimos hoje em dia. 'Cross Road Blues' é agonizante quando a letra narra a decepção de um homem frente à falta de respostas de Deus. É dessa canção que surge a lenda da venda de sua alma ao diabo. O riff é rudimentar mas ali estava nascendo a arte que anos depois seria maciçamente aperfeiçoada. 'Me and The Devil Blues' conta com um vocal mais intrínseco, mais relaxado. A letra da canção deixava os conservadores americanos boquiabertos com a 'intimiade' dele com o 'tinhoso':

Early this mornin', ooh
When you knocked upon my door
And I said, "Hello, Satan,
" I believe it's time to go."

Se alguém duvidasse do pacto com o capeta, bem, após ouvir esse blues, começava a reavaliar sua posição diante do assunto. Mas a verdade é que Johnson já vibrava como um bom roqueiro, sua atitude em cantar um assunto tão polêmico, num país que na época era essencialmente protestante, é de tirar o chapéu. Sempre admirei isso em Robert Johnson.

Se você espera execuções épicas de guitarra, tire o cavalo da chuva. Aqui você ouve o som de raíz, arrancado das terras do Mississipi, berço do blues e de muitos ritmos. Aqui você não vibra com técnicas apuradas de produção, mas celebra a essência do blues na voz e nos acordes crus desse gênio. O legal de tudo isso, é observar como uma coisa leva a outra. Como tudo tem seu começo. Johnson inspirou Muddy Waters, Albert King, B.B King, Buddy Guy entre outros mestres do blues que conseqüentemente inflenciaram Chucky Berry, Eric Clapton, Keith Richards, Jimi Hendrix entre outros grandes nomes da guitarra que formentaram o crescimento do rock'n'roll e sua gigante gama de vertentes. Robert Johnson é um dos grandes responsáveis pelo que você ouve hoje.

Set List

1- Kind Hearted Woman Blues
2- I Believe I'll Dust My Broom
3- Sweet Home Chicago
4- Ramblin' on My Mind
5- When You Got a Good Friend
6- Come on in My Kitchen
7- Terraplane Blues
8- Phonograph Blues
9- 32-20 Blues
10- They're Red Hot
11- Dead Shrimp Blues
12- Cross Road Blues
13- Walkin' Blues
14- Last Fair Deal Gone Down
15- Preachin' Blues
16- If I Had Possession Over Judgement Day
17- Stones in My Passway
18- I'm a Ready Rollin' Man
19- From Four Until Late
20- Hell Hound on My Tail
21- Little Queen of Spades
22- Malted Milk
23- Drunken Hearted Man
24- Me and the Devil Blues
25- Stop Breakin' Down Blues
26- Travelling Riverside Blues
27- Honeymoon Blues
28- Love in Vain
29- Milkcow's Calf Blues

Baixar o disco!

DICA: Se você quiser localizar um disco ou artista, veja nosso menu ao lado direito da tela ou simplesmente pressione Ctrl + F para localizar.

6 Opinião(ões) de nosso(s) leitor(es):

Oi Felipe, o blog é ótimo primeiramente, adoro.

Tentei baixar o Robert, e o arquivo veio com a extensão .m4a - não consegui fazer nada para modificar o arquivo ... se puder me dar uma dica, agradeço.

Abraço, Denise
denisz.souza@gmail.com

ola felipe !!!
otimo post parceiro
vlew pela força ae
continue difundindo essa maravilha e o berço da musica que conhecemos hoje , que é o blues.
flow

Olá, tudo bem, fico contente em conhecer uma boa história e uma boa música. Com o blues de Robert Johnson, isso sem dúvida é mais claro possível, obrigado por disponibilizar seu disco e um pouco de sua história.

Muito bom! Belo post!
Clássicos! Isso sim é música, isso sim é cultura.

Arquivo .m4a para reproduzir é simples, basta baixar o programa para convertê-lo para MP3.

http://ultradownloads.com.br/download/Free-M4A-to-MP3-Converter/

É isso ae.

ÓTIMO POST!
KING OF BLUES!