Cansei de Ser Sexy - CSS

O primeiro disco da banda paulistana foi festejado por quem achava que brasileiros mereciam destaque no exterior. Mas não por fazer samba ou saber dançar samba, ou sambar ao fazer um gol no Campeonato Italiano. Muita gente acha que o Brasil tem o seu lado rock, e muito bem feito por sinal. Muitas bandas anteriores ao Cansei de ser Sexy (CSS) podem ter feito um relativo sucesso lá fora, mas tudo tinha uma pitada de elementos da música brasileira. Geralmente o elemento mais utilizado era a percussão, que remetia o ouvinte à uma sessão de macumba. Nada contra os precursores, os Mutantes por exemplo foram grandes expoentes da "nossa psicodelia" nos anos 60. Fazem sucesso até hoje como grande referência entre muitas bandas internacionais. Mas a questão é: tem alguém no Brasil que sabe fazer som gringo? Que possa seguir uma das fortes tendências do rock atual sem "macular" o som com elementos brasileiros? Sim, tem uma banda. O CSS. Com seu eletro-pop-rock, eles conquistaram a cada dia mais e mais fãs pelo mundo. As letras são debochadas como é o caso de 'Meeting Paris Hilton', onde elas chamam Paris Hilton de "bitch" sem pudor (claro que isso não é nada quando se trata da futilidade da celebridade em voga). As letras são bem sacadas ao citar uma banda canadense muito foda em 'Let's Make Love And Listen To Death From Above', onde uma pegada num estilo "R&B acelerado" duela seu espaço com diversas pitadas eletrônicas. O sotaque de Lovefoxxx é muito sofrido, mas soa engraçado, esculachado ao soar em alguns momentos infantil. Digamos que seja um charme. O disco faz sucesso porque mescla diversos sons que andam por cima na atualidade. Em 'Art Bitch' uma aparência de black music toma conta das batidas da faixa, que colidem em acordes distorcidos da guitarra. 'Alcohol' é doce, seja nos arranjos ou no contraste em que a voz de Adriano faz com a de Lovefoxxx. A levada pop da canção com diversas notas de guitarra é sinal de versatilidade. Os sons que permanecem ao fundo nos remetem às velhas canções dos video-games de nossa infância. 'Off The Hook' é um rock baseado num riff funcional e grudento junto a um baixo sólido e sem brincadeiras. O refrão se veste de backing vocals suaves, cheio de "ahuuus". E a guitarra, além do riff, domina a faixa com sua desenvoltura impecável.

O CSS orgulha aquele brasileiro que sabia que algo daqui tinha condição de despontar no mercado internacional. É gratificante vê-los no line-up de tantos festivais e ver que estão fazendo bonito. Quer pitadas brasileiras? Ouça Bonde do Rolê que inclui o "funk carioca" na música deles, afinal, o samba já era, agora é funk do Rio, rapá! (hahaha!)

*Sugestão de Felipe

Set List

1- CSS Suxxx
2- Patins
3- Alala
4- Let's Make Love and Listen to Death from Above
5- Artbitch
6- Fuckoff Is Not the Only Thing You Have to Show
7- Meeting Paris Hilton
8- Off the Hook
9- Alcohol
10- Music Is My Hot Hot Sex
11- This Month, Day 10 This Month

Baixar o disco!

BUSCA!
Agora o blog conta com uma busca específica no menu ao lado. Procure discos e bandas/artistas em nossa busca! Serão listados todos os posts onde o nome procurado foi citado.

11 Opinião(ões) de nosso(s) leitor(es):

Os Mutantes são uma banda de rock. Rock'n'roll. Fizeram rock'n'roll com o The Who fez, o Pink Floyd fez. Nada de diferente.
E eu não sei de onde tirou que no Brasil os grupos de rock tendem a colocar "batuques de macumba" ou coisa parecida nas músicas. Algumas fizeram, sim, mas são uma minoria dentro do cenário nacional. Do jeito dito no texto, fica parecendo que o CSS é a única banda que soube fazer "rock gringo" no Brasil, o que está bem longe da verdade.
Aliás, o CSS não é tão importante assim para o rock nacional. O Brasil possui um mercado consumidor para o rock'n'roll enorme e variado e uma cena rica e isso funciona independentemente do que eles pensem do nosso som lá fora. O fato de uma banda brasileira ter sido aceita no exterior não muda em nada as características do contexto da música no país.

Oi Dante!

Os Mutantes encheram suas músicas de elementos brasileiros... e já que você citou macumba, te pergunto: o Who já fez algum som parecido com aquele dos Mutantes "Bat Macumba"? Na boa, se alguém fez algo parecido foram os Rolling Stones, no "Sympathy for the Devil", com percussão de Candomblé em toda a canção. Lembra?

Na verdade, o que eu disse é que o CSS é a banda com exposição internacional (leia-se "que faz sucesso lá fora") que não inventou de colocar elementos brasileiros, pra transformar o rock brasileiro em "rock exótico". Pode ter certeza que lá fora, eles não associam o estilo musical do CSS com as palavras "latin", "brazilian pop".

Te desafio a apresentar uma banda brasileira com o sucesso (no exterior) similar ao CSS que não encaixe elementos tupiniquins... me dê apenas um nome. Apenas lembre que o sucesso que eu cito é fazer turnês intermináveis lá fora, não algumas apresentações no Chile ou num teatro de Portugal.

Ah! E não estou questionando a riqueza da nossa cena musical, mas esse post é sobre uma banda alienada à essa cena. E a música brasileira não muda mesmo com o sucesso do CSS, mas a verdade é que eles fazem algo diferente, queira você sim, queira você não.

Fico aguardando a citação de uma banda similar ao CSS, como te desafiei.

"O Brasil possui um mercado consumidor para o rock'n'roll enorme e variado"

Ou você acha que ainda estamos na época do lançamento do disco do RPM ou Calypso é rock. Acho que você não sabe nada sobre mercado fonográfico nacional.

Eu sabia que você ia citar Bat Macumba como prova de que os Mutantes faziam música com elementos "tribais" ou sei lá o que. Mas Bat Macumba não é a melhor música para defenir o som do grupo, na minha opinião. Eu diria que a partir do terceiro disco as influências tropicalistas dão lugar ao rock'n'roll puro. Um rock'n'roll extremamente diversificado, criativo e fantástico, diga-se de passagem. Mas o assunto principal dessa conversa não são Os Mutantes, né.

Veja bem, mesmo que não houvesse nenhuma banda de rock sem influência do candomblé/umbanda fazendo sucesso no exterior, isso não significaria que bandas assim não existem no Brasil. Elas existem e fazem músicas muito boas. Atingir aceitação do mercado inernacional é algo que não depende apenas da qualidade do som em si. O mercado fonográfico é um mercado como qualquer outro e lança para a fama o que lhe é financeiramente conveniente.

Eu acredito, por exemplo, que a Legião Urbana conseguiu construir uma obra superior à de muitas bandas que alcançaram sucesso internacional, como o The Cure ou o The Police. Mas provavelmente você vai me chamar de louco por dizer isso...

O ponto é que existem mil preconceitos e barreiras que impedem rock brasileiro de alcançar Top Hits internacionais. O idioma, pra começar. CSS não faria sucesso lá fora se SÓ cantasse em portugues (porque eu sei que a banda tem alguuumas músicas em portugues).

Então essa é a minha opinião, cara. É irrelevante se bandas brasileiras alcançam sucesso lá fora ou não porque não é isso que define a qualidade do nosso som.

Agora, como você pode não acreditar que haja mercado consumidor amplo de rock'n'roll no Brasil???

Você não é brasileiro? Eu não sou brasleiro? Você não tem amigos brasileiros que gostam de rock? Eu não tenho também?

No Orkut existem MILHARES de comunidades criadas por brasileiros e povoadas por brasileiros relacionadas a bandas de rock pertencentes a TODAS as variantes possíveis e imagináveis estilo, cara!

Se você andar pelo centro de qualquer cidade com mais de 30 mil habitantes no Brasil você não vai demorar muito até encontrar um moleque com camisa do Nirvana, uma menina com cabelo tingido de ruivo e vestida de preto, algum grupinho de cabeludos adoradores do Deus Metal.. rs

Olha só, cara. esse blog é a prova de que existe mercado consumidor pra rock'n'roll no Brasil. Se não houvesse ninguem pra baixar os discos você não fazia o upload, não é?

Então, porra, não é a primeira vez que eu ouço críticas como as suas de que no Brasil o povo só gosta de funk e Calipso e eu fico puto com isso porque isso não é verdade. Vocês queriam o que? A República Federativa do Rock Na Veia?? Pô... Só porque não toca música do Sonic Youth em Malhação não significa que ninguem no Brasil saiba o que é rock. Eu sei o que é rock. Você sabe o que é rock. Nós nascemos e vivemos no Brasil.

Eu já conversei com uma garota que passou 3 meses em Los Angeles, uma vez. Ela disse que lá só rola hip hop aonde quer que você vá...

Então Dante,

o "mercado consumidor" braisleiro é pífio, principalmente o do rock. Eu entendo "consumidor" como aquele que consume um produto, que no caso é o rock'n'roll. E infelizmente não é questão apenas de Brasil, mas o "mercado consumidor" em diversos países está um lixo graças ao valor exorbitante dos discos, o que faz as pessoas se dirigirem a blog como esses. Ou seja, quando você cita consumidores, conseqüentemente se refere ao mercado de consumo, que aqui no Brasil só funciona com Ivete Sangalo, Calypso e etc, que ainda vendem milhões de discos. Cara, vai por mim, nossas gravadoras de tock são fracas, não têm marketing e mesmo as maiores são ineficientes, tudo porque nosso mercado fonográfico está condenado a fracassar.

Concordo que se o CSS fizesse músicas com letras em português, muito do sucesso sumiria. Mas o Bonde do Rolê canta na nossa língua e tem relativo sucesso (mas aí vem o fator funk carioca, que é novidade pros gringos).

Ah! E não acho que o rock não seja popular no Brasil, apenas acho que não vende tanto quanto os outros estilos de música.

E finalmente, agradeço sua participação, que embora envolva uma discussão gigantesca, é sadia para acrescentarmos novas idéias ao nosso pensamento.

Abraço Dante!

p.s.: Entre na comunidade no Orkut para sugerir novos discos!

A música é universal, não pensem que tem ser do jeito que vocês querem. Cada um na sua.

"Pebolim" é um elemento tupiniquim. Aliás eu não entendo pq vcs crianças indie elitistas gostam tanto de querer ficar provando ao mundo suas análises idiotas.

crianças?
ah! vou usar a premissa mais infantil:

"por que não faz algo melhor, tio indie?"

hahahaha

mas primeiro arruma coragem de usar o seu nome e não uma máscara anônima...

A música brasileira é sem dúvida a mais rica em diversidade no mundo. Adoro muitos estilos musicais, com exceção do funk chulo, sertanojo brega e azeite de dendê music, ops!, axé "horrivel" music. Ah, não esquecendo dos pagodeiros sem berço de samba, como aqueles que se dizem pagodeiros, como se chamam mesmo: Odiadores da 12C ou daquela Calculadora, não sei. Apenas, tenho certeza do que é a música brasileira em todos os seus cenários, e que na verdade, poucos lá fora, fizeram igual. A riqueza musical brasileira no geral, emplacou milhares de músicos, bandas de altíssima qualidade, que até podem não fazer tanto sucesso lá fora, mas são reconhecidas pelos maiores intelectuais e experts da música mundial. Portanto, tenho muito orgulho da música do meu país e fico muito surpreso que ela seja comparada a ISSO: CSS - CANSEI DE SER SEXY, que por seu reconhecimento no exterior, não chega nem aos pés, do sucesso internacional do Sepultura e do que foi os Mutantes, considerada pelos mais reconhecidos críticos mundiais, como uma das maiores bandas independentes do mundo. Por favor...