Rockets to Russia - Ramones

O nome já é polêmico. Em época de Guerra Fria, o que significaria "Foguetes para a Rússia"? Terceira Guerra Mundial, com certeza! E é num ritmo caótico que o punk dos Ramones invadiu as rádios e toca-discos de punks e até 'não-punks' do mundo inteiro. Com o rock básico de três acordes, os Ramones desafiam a frieza e complexidade do rock progressivo e suas músicas longas (alguns discos continham apenas uma música de quarenta minutos). Nada de disco conceitual: o Rockets to Russia é uma bagunça, é acelerado (a música mais longa tem dois minutos e quarenta e nove segundos), é rude mas é cheio de harmonia. O quarteto não pecou por falta de melodia em suas canções. Os Ramones fizeram de arranjos simples, grandes hits punks.

'Cretin Hop' abre o disco com a guitarra estufada, e o baixo de Dee Dee bem mais ressaltado. A voz de Joey Ramone não atende aos padrões e isso é bom, afinal, a voz dele é marcante, feita para o punk. Não há o esculacho da voz de Johnny Rotten dos Sex Pistols (que a deixa forçada). Joey é autêntico ao cantar, gigantesco em estatura, desajeitado e grudado ao microfone. 'Rockway Beach' como em todas as músicas deles tem um refrão difícil de esquecer, não só pela repetição de "rock-rock-rockway beach!", mas pela guitarra de Johnny que se alastra na estrutura da música. 'Here Today, Gone Tomorrow' é a pausa em toda a euforia, não chega a ser lenta, mas comparada às outras, ele toma o aspecto de música pra dançar com rosto colado (hahahahaha!). O maior destaque, o hit desse disco sem dúvidas é 'Sheena is a Punk Rocker'. O equilíbrio instrumental que a banda demontra, em meio a uma música tão urgente, é incrível. São perfeitos. E o refrão é unanimidade nas pistas de qualquer casa de rock no mundo inteiro:

Sheena is a punk rocker
Sheena is a punk rocker
Sheena is a punk rocker nooooow!

Os Ramones têm muitas músicas engraçadas e eu particularmente acho engraçado quando Joey canta "daddy likes men". Hahahahaha... ah uma certa ironia na voz dele. O fim dessa música é cheio de diálogos familiares, crianças berrando em choro, cachorro latindo, sim... bem familiar. Usando a lobotomia como tema da faixa, os Ramones fazem uma letra engraçada e crítica em 'Teenage Lobotomy'. Lendo esta frase, dá pra ver o teor da coisa:

Now I guess I'll have to tell 'em
That I got no cerebellum.

Lembra o final daquele filme Um Estranho no Ninho? 'Do You Wanna Dance' é um dos covers mais celebrados, uma versão totalmente diferente e original para o sucesso de Johnny Rivers. Ficou demais, embora curta, está na dose certa. E a agitada 'Surfin Bird' é a mais dançante, magnífica em sua repetição. Cabe ressaltar que esse é um cover também, a música original é de uma banda de surf-music chamada Trashmen.

É um dos maiores clássicos do punk rock. Fazem exatamente 30 anos do lançamento desse disco e é incrível como os Ramones permanecem e permanecerão atuais.

Set List

1- Cretin Hop
2- Rockaway Beach
3- Here Today, Gone Tomorrow
4- Locket Love
5- I Don't Care
6- Sheena Is a Punk Rocker
7- We're a Happy Family
8- Teenage Lobotomy
9- Do You Wanna Dance?
10- I Wanna Be Well
11- I Can't Give You Anything
12- Ramona
13- Surfin' Bird
14- Why Is It Always This Way?

Baixar o disco!

DICA: Se você quiser localizar um disco ou artista, veja nosso menu ao lado direito da tela ou simplesmente pressione Ctrl + F para localizar.

2 Opinião(ões) de nosso(s) leitor(es):

felipe adorei a sua resenha sobre esse disco que é um dos meus preferidos dessa banda que é a minha favorita desde meus 12 anos.
o disco é incrivel, rapido, alegre e realmente a voz do joey é a cara do punk, grave, diferente e apaixonante.
parabens

Este talvez tenha sido o LP que mais ouvi na minha vida em plena era Punk.
Nesta época só se conseguia estes discos "importados" através do museu do disco em São Paulo e na galeria do Rock na rua 24 de maio fazendo trocas com a galera. A gente ficava conhecendo estas preciosidades que rolava no exterior através do programa do Kid Vinyl na Rádio Excelsior as Segundas-feiras às "zero horas".
The Clash e tantos outros postados neste blog entraram no Brasil desta forma. Salões de Punk Rock como na Gruta de Santana e S.B.E.R.O.C de São Caetano do Sul na época abrigavam todas as tribos sem maiores consequencias.
Quem dera hoje fosse assim.
Tenho até o LP importado "Leave Home" dos Ramones autografado em uma de suas tardes de aotógrafos em São Paulo.
Grande Postagem
www.bangbangitaliana.blogspot.com